domingo, fevereiro 20, 2005

Obrigada, por existires!



Tu sabes descrever-me os humores.
Utilizas palavras de mil cores,
Em versos de um amor sem limites
Que cura em mim as feridas de outros pretéritos.
Em ti encontrei um porto de abrigo,
Abraços estendidos sem perguntas,
Carinho sem normas,

Amizade sem julgamento…
Contigo é mais fácil esquecer as tristes verdades.
Porque tu ensinas que o amor não é obrigação,
Que a vida faz mais sentido quando se ama...
Tu sabes quedar-me as duvidas,
Dissipar-me os males,
Aconchegar-me quando mais preciso…
E quando tu não estás,
Voltam as vontades nos silêncios
E a vida parece mais vazia...

Sinto-me incompleta,
Perdida.
Tu me apareceste em acaso,
Num acaso que só fez sentido...
E por ti a minha vida tem mais valor.
Hoje, minha querida,
Digo-te de coração nas mãos,
Braços estendidos,

Nunca me abandones...
A vida ou a imortalidade não fazem sentido sem ti...


Vera Cymbron



Minha querida,
Hoje uma menina de dois anos disse-me, "M. eu amo-te. Eu amo o mundo todo". Se tu soubesses o quanto me tocou ouvir, da sua vozinha emocionada, estas palavras. É tão bom ouvi-lo, é tão bom sentir que despertamos um sentimento tão nobre quanto o é o amor. Encheu-me a alma e o coração. Justificou o dia, a existência... Esta é, para mim, a chave da vida, o amor. E, não me sei sem o sentir, não me sei sem estar apaixonada pela vida, pelos outros. Ele, amor, é sem dúvida a minha base. É por ele que me dou, é por ele que vivo. Não sou uma pessoa perfeita minha amiga, e por isso também não sei se mereço as tuas palavras. No entanto, posso dizer-te que te amo, e que estarei ao teu lado enquanto quizeres que aí permaneça. E no dia em que não mais o desejares, saberei ir embora, mas, ficarei perto o suficiente para te ir sabendo..
Obrigada por esta tua prenda, Amei!... Obrigada por estares aí, aqui..