quinta-feira, março 24, 2005

...

Na chama mais recente aflorada
o regresso acontece indecifrado

O fogo inicia o seu mistério

Estendes-te manhã na tua asa
A procurá-la desço a madrugada


a flor do sal. aberta nos teus
lábios. signo da signa secreta. em que
me perco. já tarde
em ouro exposta ao sol. ao vento.
de crinas onduladas. onde tudo todos
somos. outras sementes que fomos
oblíquos os teus olhos. gotas do
deserto. de que me nascem asas. que
siam. entre litorais redondos
o teu segredo é o teu medo. o meu
medo é o teu segredo. e pelas pontas
outros nós puxamos segredos e medos
e há pés que passam a nosso lado.
feitos de mar de terra e alcatrão.
outras histórias. outros fados. outros
segredos. outros medos. outras asas.
outros olhos. outras sementes. outros
ventos. outros lábios
vivemos em segredo. amor é isso.
uma fuga sem onde. sem como. sem
porquê. sem quando. fitas soltas d'água
mas nós. assim o julgamos.
de saber sentido na boca onde se
escapa. como aves. sempre como aves.
de olhar vago. indefeso. inseguro.
pesado
e voamos. virando folhas de espaço
selado. onde estamos. ou não estamos.
à mercê das aves. de outras aves

Joaquim Matos
Foto de Portrait ´s