segunda-feira, abril 11, 2005

Amanhecer ... [em ti]

Para habitar as planícies da ausência
e escalar os montes de tempo
que não vives

eis a secreta viagem
duma ave imaginária
em busca do instante
onde tudo recomeça

Armando Artur - Moçambique



Ah como gosto de sentir na pele a frescura do raiar do dia
E deleitar-me com as cores suaves e tímidas da alva.
Lilases, roxos, laranjas, amarelos, rosas, e azuis
Velados pela bruma subtil, hálito do campo que boceja ao despertar.
Dou sempre por mim a querer ter asas
Para, através do céu da jovem manhã,
Poder molhar-me nas nuvens e envolver-me nos tons do espaço que acorda,
Revolvendo-me, deleitada, entre Terra e o firmamento, radiante,
Vogando em direcção ao Sol menino.
Hoje quero sentir apenas estas cores
misturar-me nelas e voar... Voar até ti...

Foto de A.D.