domingo, junho 05, 2005

Pergunta-me


Pergunta-me porque sonho o infinito
Pergunta-me porque habita a certeza do nascer da manhã
nos meus olhos de sal.
Pergunta-me porque passei a pintar os meus dias em cores intensas.
Mergulho no sangue o meu pincel de nada
e porque termina ele em quadro de sol poente.
Pergunta-me das melodias que ritmam os meus passos
Pergunta-me do perfume das flores que brotam do meu peito
a cada madrugada...

Pergunta-me...

E eu só poderei dizer-te, meu amor
que a resposta está nas tuas mãos abertas
em dádivas de ternura...

Foto de Susan Buchanan