quarta-feira, julho 06, 2005

Tantas vezes...

Tantas, mas tantas vezes
confundi um regato com o oceano
uma arvore com a floresta
a foz com a margem
o infinito com a distância de um olhar
os sonhos com uma realidade já consumada.
Tantas vezes confundi,
e outras tantas da decepção reconstrui,
pedra a pedra a casa das emoções
onde todos os sonhos são possiveis, ainda.