terça-feira, agosto 30, 2005

Pela Noite...

Foto de Lupan

Toma esta semente
semeia-a do lado esquerdo do coração
aí onde confluem os oceanos
e se agitam as marés
escuta os ventos que para ele correm
debruça-te depois sobre o espelho de tuas àguas.
Aí verás o teu rosto coroado com as cores do entardecer...
Agora, vem...
vem pela noite, vem
ah, mas não tardes
cansadas as palavras já não servem..
Apenas uma ainda na minha boca, o teu nome
soberano ele é de meus domínios.
Respira-me,
procura novos portos no meu corpo
que sirvam à distância que te trouxe.
Desvenda as marés de meu sangue
e a lava que incendeia as veredas do que sinto.
Decifra meus signos e todos os temores
que não ouso confessar.
Despe-me a solidão, e deixa-me assim
apenas com o que de ti vem...